DIA DO TRABALHO


Ubiratan Lustosa


Eu admiro e respeito quem trabalha.
Seja aquele que, de sol a sol, empunha uma enxada no extenuante trabalho do campo, ou aquele que atravessa as noites na vigília da pena escrevendo para informar, orientar e instruir.

Respeito e admiro o operário anônimo da mais esquecida profissão e também aquele cujo trabalho traz fama, projeção e riqueza.
Respeito e admiro o cientista que se encerra nos laboratórios, consumindo sua vida para que outras vidas sejam melhores, e também a dona de casa em seu trabalho exaustivo, repetitivo, que não aparece porque se transforma em rotina do dia a dia.

Respeito e admiro o trabalhador braçal e o trabalhador intelectual. O que cria e o que executa. O que comanda e o que é comandado. O mestre que ensina e o aluno que aprende. O patrão e o empregado.
Porque tudo que fazem pode ser feito com dignidade, e do trabalho de cada um e de todos é que se faz a grandeza de uma nação.

Seja qual for o ramo de atividade honesta a que se dedique alguém, merece respeito e admiração.
Se ao patrão cabe respeitar o empregado, dando-lhe a justa paga pelo serviço que presta, proporcionando-lhe condições de segurança, de saúde, de higiene e até o seu lazer e bem-estar espiritual, cabe ao empregado respeitar o patrão, produzindo sempre o melhor possível e empenhando-se pelo sucesso da empresa em que trabalha, dando o melhor de si em dedicação e talento.

Sim, respeito e admiro profundamente a quem trabalha, e por isso lamento que a conjuntura econômica em muitas ocasiões tenha penalizado o nosso povo com o desemprego que atormenta tantas famílias.
É muito triste querer trabalhar, precisar de trabalho e não conseguir emprego.

É um direito de todo cidadão ter trabalho e, com o fruto dele, manter a família com todas as condições de vida que a dignidade humana impõe. Vamos, então, prestar homenagens aos que trabalham, sem esquecer aqueles que sofrem as agruras do desemprego.

Que se espertem nossos governantes para que este país se desenvolva e que haja trabalho para o povo e dignidade para os cidadãos.

Só assim seremos realmente felizes no Dia do Trabalho.

 

Do livro NOSSO ENCONTRO COM UBIRATAN LUSTOSA
Instituto Memória Editora
http://www.institutomemoria.com.br/detalhes.asp?id=176